quarta-feira, 23 de junho de 2010

KAKÁ, JUCA KFOURI E PROPAGANDA: O QUE ISSO TEM A VER?

A paz do Senhor a todos!

A resposta à pergunta do título deste post é "TUDO".  Pra quem não sabe, Juca Kfouri sempre foi arredio ao Evangelho e considerado, nas rodas internas de segmentos religiosos neopentecostais e pentecostais, como um inimigo do Evangelho. Velado, mas um inimigo. Sob o álibe de “grande defensor” da liberdade de expressão, é corrente nos meios evangélicos e dentre os profissionais de jornalismo a maneira truculenta como ele sempre tratou questões de fé.

E ai?

Não tenho nada contra, claro! Ele só demonstra que não tem (e nem quer ter) nenhuma ligação, direta ou indireta, com nada que inclua o Evangelho de Cristo Jesus. Fazer o quê? Nada, claro, pois isso é um direito que lhe assiste. E não me lembro de, publicamente, mesmo sabendo de sua escolha "não religiosa", que alguém o tenha enquadrado por conta disso.

Mas é notório como ele gosta de dar opinião sobre a vida dos outros, já notaram? Mas é jornalista, dirão, ele tem esse direito, etc, patati, patatá... Mas o que muita gente não sabe é que ele sempre perseguiu jornalistas que não pensassem como ele. E defende com "unhas e dentes" a liberdade de expressão. Senão vejamos: Liberdade de expressão para a pornografia, pois foi diretor da revista pornográfica Playboy; expressão de fé não pode, exceto se for a religião corinthiana ou ligada à sua visão de mundo, que nas entrelinhas é uma "religião", mas dele e de outros que seguem a mesma carteirinha.

No seu tempo de "O Lance", volta e meia tinha uma reportagem tratando, com bom humor, os casos prosaicos de macumba antes de jogos importantes... E, na playboy, costumava, por ocasião das copas do mundo de futebol, publicar um time de "modelos" peladas "desvestidas" de jogadores da seleção... Ou seja, marketing de feitiçaria e nudismo na Copa pode, Jesus é proibido!

Ainda ontem, viu que fez besteira e deu uma resposta cheia de impáfia intelectual, como é de seu costume, tentando se isentar da alegação de perseguição religiosa. Conversa fiada! Juca persegue os evangélicos desde sempre e, a partir da Copa das Confederações (2009), não esconde sua ira de ateu. E tem cristão "cult" que bate palma para ele!

Alega que as manifestações de fé dos evangélicos em campo são apenas exageros de marketing religioso...

Ou seja, bumbum em outdoor e pornografia na TV é bom marketing para vender Playboy... Uma camiseta louvando Jesus, na contra-mão da tendência midiática do Cachaça X Mulher Pelada dos intervalos comerciais dos jogos... Isto não pode!

Se você me perguntar, eu acho que as manifestações de louvor ao Senhor nos jogos tinham que triplicar! Brasil jogou contra a Coreia do Norte, uma das nações que mais perseguem cristãos no planeta. Perseguem, torturam e matam! Há anos a Coreia do Norte não permitia uma transmissão de TV ao vivo de origem internacional. Nossos jogadores cristãos poderiam ser usados tremendamente para levar encorajamento aos cristãos perseguidos naquele país, ainda que fosse com um gesto, uma camiseta... Irmãos estamos contigo! O Senhor é com vocês!

Alguns podem falar que este tipo de ação não faz diferença nenhuma. Estão enganados. Forma-se opinião, abrem-se discussões em ambientes que estavam fechados a tal.

Nós não podemos visitar os que jazem em prisões na Coreia, Argelia e outros paises que perseguem cristãos e estão jogando na Copa do Mundo, sujeitos ao máximo da expressão do marketing de tudo o que não presta... Mas, através de nossos irmãos de chuteira, nos é dada a possibilidade de levar um testemunho a estes cristãos perseguidos... Mas, segundo Juca Kfouri, isto não pode!

E tem "cristão pós-moderno" que bata palmas para essa atitude dele!


Agora, louvo a Deus pela atitude madura e corajosa do Kaká, que numa entrevista coletiva, "abriu" para a mídia quais eram as verdadeiras razões do Kfouri estar sempre criticando ele: Simplesmente, nas palavras de Kaká, “O problema do Juca Kfouri em relação a mim já vem de algum tempo. Ele resolveu voltar seus canhões contra mim, voltou a artilharia, e o que me incomoda é que o problema dele comigo não é profissional”, atacou Kaká. “O problema é que ele não aceita essa minha fé em Jesus Cristo. Da mesma maneira que eu o respeito como um ateu, peço que ele me respeite como alguém que professa a fé em Jesus Cristo. Que respeite não só a mim, mas aos milhões de brasileiros que seguem Jesus Cristo”. Pois é... recado dado!!

E ele, Kfouri, já tinha feito uma crítica draconiana em seu blog, dia 31 de maio, que você pode conferir aqui, numa crítica do Kfouri a Deus e a possibilidade de exposição divina na Copa. Nesse post, ele diz, já no final:

Por isso, a Fifa está rezando para que o Brasil não ganhe a Copa.
Seu capitão, Lúcio, é zagueiro de Deus, e a estrela do time, Kaká, é o seu goleador.
A Fifa está advertindo as confederações nacionais para certificar-se de que vitória e celebrações de gols continuem sendo humanas e não divinas.
Nenhuma imposição religiosa será exposta sob qualquer cor nacional.

A questão é esta:  Kaká e outros discípulos – incluindo Steven Pienaar, da África do Sul, outro serviçal do Senhor, vão seguir a Palavra da FIFA ou a Palavra do Todo Poderoso?
O chefão da FIFA, Sepp Blatter, que também tem um poder fantástico, vai jogar um raio em qualquer um que questione a onipotência do futebol.
Sejamos intelectualmente sãos por um momento.
Sem dúvida, a Copa do Mundo é positivamente darwiniana – os mais fortes sobrevivem – onde nações de futebol em desenvolvimento podem agora estar maduras para arrancar o Manto Sagrado das mãos das poucas nações escolhidas – Brasil, Itália, Alemanha e Argentina.
(OK, basta. É Deus demais para um domingo…)”. (Juca Kfouri, em seu blog, dia 31/05/2010).

Oremos, para que a luz do Evangelho possa resplandecer sobre o Juca Kfouri, uma figura pública conhecidíssima, que deveria pensar bastante ao expor suas opiniões pessoais sobre fé. Só lembrando, o Brasil (pelo menos oficialmente, segundo o art. 19 da Constituição Federal de 1988) é um país laico. Tá na hora do Kfouri respeitar isso, assim como o respeitamos por seu ateu. Ah e essa postagem é apenas comentando o que ele disse e fez, como se pode notar pelo mea culpa que ele põe em seu blog, dizendo que nunca criticou os "evangélicos". 
 
Ai ele diz: 

"Critico sim o merchandising religioso que ele e outros jogadores da Seleção costumam fazer, tentando nos enfiar suas crenças goela abaixo. Um tal exagero que a Fifa tratou de proibir, depois do que houve na comemoração da Copa das Confederações".

Se o Juca tem problemas com a mensagem do Evangelho, a ponto de não suportá-la, não deve socializar-se com uma gigantesca parcela de pessoas eminentes desse país, que defendem  a bandeira do Evangelho. Se ele não gosta das crenças dos outros, desses "exageros" que a Fifa "proibiu", e diz isso publicamente, deve ter ombridade para suportar as consequências dessa atitude dele. Intemperada, é verdade; mas esclarecedora... Hummm... lembrei de uma referência legal.. Sl 14.1

Em Cristo,
Prof Damasceno

3 comentários:

Daniel Sales disse...

Eu assino em baixo!!!
Deus salve o Juca!!

Prof Damasceno disse...

Daniel, obrigado por sua participação. Também assino em baixo: Deus salve o Juca!

kleber disse...

É HORAR,JA FUI ASSIM TB, E QUANDO
VJ ALGUEM ASSIM,FICO SONHANDO
ELE DANDO GLORIA DEUS E PREGANDO
O EVANGELHO,,É POSSIVEL!

PROFESSOR , EM MAIO TERA O TIL EM BURITI BRAVO ?
SUA PRESENÇA JA FOI CONFIRMADA?